quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Imperator: vai ou não vai?

Acabei de ler na internet que a próxima secretária municipal de Cultura, Jandira Feghali, anunciou hoje a reabertura do Imperator como casa cultural multiuso. Junto com a secretária estadual da mesma pasta, Adriana Rattes, e dois arquitetos da equipe de transição, ela visitou a casa de shows, que está fechada há 10 anos, para avaliar o estado do prédio.

Palavras de Jandira, segundo a notícia: “Vamos transformar o Imperator em espaço multiuso, que vai funcionar dia e noite.”

Agora é esperar pra ver. Pessoalmente, estou um pouco cansada de tantas expectativas frustradas em relação ao Imperator.

3 comentários:

G! disse...

Hoje estive na posse da Secretária da Cultura, Jandira Feghali, e entre os pontos do programa de trabalho está a abertura do IMPERATOR, mas não lembro especificamente se como teatro / casa de shows ou centro cultural.

Renata disse...

G!, estou torcendo pela reabertura do Imperator de alguma forma que seja. O Méier não pode se dar o luxo de não ter um bom espaço de cultura, é muito descaso com o bairro.

Anônimo disse...

essa história de "espaço multiuso"...isso me deixa com pulgas e carrapatos atrás da orelha. pulgas porque nós moradores do bairro, assim como os passantes desconhecemos de um projeto multiuso e de como é no caso do "multiuso imperator" ele será realizado. espaços com esse nome geralmente é o atalho dos governos para dizer que criaram um local para nós nos divertimos. mas ou menos arquitetura de playground. o carrapato é sobre a utilização da denominação "centro cultural", ligado as comunidades carentes (lástima). o governo do rio é campeão em criar espaços designados como culturais em nossos subúrbios através do aprendizado imediatista, como fazer bonecos de papel maché ou instrumentos com canudos coloridos, não havendo então propagação e mediação de uma cultura. ou seja, não é cultura, e sim apenas um aprendizado de uma técnica, um ofício. cultura é muito mais do que isso. O méier é um bairro de clásse media, que os moradores, não tendo opções de lazer, gastam dinheiro em outros locais como a barra e a zona sul. assim os nossos impostos vão para lá.